Blog

Ábaris

Veja como o CFO pode ajudar seu negócio a ter saúde financeira durante a crise

Por Redator
Saúde financeira durante a pandemia do COVID-19

O CFO pode auxiliar empresas a promover melhores respostas à crise do coronavírus por meio de medidas de equilíbrio financeiro nas organizações.

A função desse profissional é fundamental para que os negócios se adaptem ao cenário da economia atual, que pode ser o pior da história brasileira, de acordo com economistas. 

O cargo pode levar as empresas a potencializar as reservas de caixa, além de fazer previsões diante de circunstâncias econômicas incertas.

Neste artigo, será detalhado o papel desse profissional em um negócio e as vantagens de contar com essa ajuda atualmente e depois da pandemia

Confira!

O que faz um CFO dentro de uma organização?

O diretor financeiro, ou CFO (Chief Financial Officer, em inglês), é o executivo encarregado por todas as movimentações financeiras de uma empresa. Esse profissional cuidará de diversos procedimentos de uma organização, inclusive das atividades de contabilidade e da tesouraria.

A grande diferença desse profissional em específico para os demais da área financeira é a sua bagagem especializada em finanças e a visão de mercado, já que ele deve realizar análises e se antecipar à concorrência, muitas vezes com tomadas de decisão de alto risco.

A pessoa que assume esse cargo será capaz de tomar decisões importantes que envolvem investimentos de recursos financeiros. O CFO também fará análises de riscos antes de executar as deliberações, para estimar eventuais prejuízos, e deve estar a par de soluções tecnológicas para tornar o trabalho mais otimizado.

A função ainda está relacionada à supervisão do caixa da empresa e à busca por capital. Diante de todas as atribuições e do grau de responsabilidade, é indicado que o profissional que esteja no posto conheça bastante o contexto em que a empresa se apresenta, bem como o nicho de atuação e especialmente as situações atual e futura do mercado.Leia  também >>> Transformação digital: um guia completo para você aplicar na sua empresa e crescer no mercado

Qual a importância desse profissional para a saúde financeira da empresa?

De acordo com especialistas em estratégia e finanças corporativas, as empresas que contam com diretor financeiro podem ser beneficiadas com a estabilização dos negócios e com um melhor posicionamento frente a eventuais crises.

Essas atitudes podem aumentar as chances de que a companhia prospere quando as condições melhorarem no cenário econômico.

O CFO é o líder que tem o papel mais relevante na garantia da saúde financeira da empresa. O cargo ainda pode contribuir com a chamada resiliência organizacional, que diz respeito justamente à capacidade de adaptação diante de adversidades.

Isso acontece porque o profissional é capaz de lidar com situações de crise tanto internas quanto externas. Com essa competência, o diretor financeiro pode ter aprendido lições importantes para pôr em prática durante o contexto de incertezas trazido pela pandemia.

O que o CFO pode fazer para que a empresa passe por esse momento com menos prejuízos?

É comum que as empresas sejam atingidas pela falta de confiança em investir em um momento econômico complicado e incerto. Diante disso, o CFO pode atuar primeiramente no sentido de buscar a segurança e a sobrevivência imediata da organização. Assim, as companhias terão mais requisitos para seguir para os próximos passos. 

Com a estabilização financeira em curto prazo, a empresa será capaz de se antecipar às condições do mercado e se preparar para as ações que devem ser tomadas durante a recuperação.

Primeiro, pensar em otimizar as reservas de caixa

A otimização das reservas de caixa de um negócio deve ser uma das principais preocupações das empresas.

Devido aos efeitos da pandemia, muitas organizações tiveram que suspender o funcionamento, o que levou cadeias de suprimentos a ser interrompidas também. Os consumidores, por sua vez, deixaram de fazer compras irrestritas.

Assim, o diretor financeiro deve focar em fortalecer os estoques de caixa da empresa a fim de prepará-la para o ambiente econômico inconstante. O ocupante do cargo também deve se concentrar em avaliar a liquidez do negócio, ou seja, a capacidade de os ativos serem transformados em dinheiro.

eBook GRATUITO. SAIBA TUDO SOBRE O ÁBARIS SAÚDE

Prever os cenários mais incertos e suas resoluções

Devido à instabilidade da conjuntura econômica, o CFO também deve fazer diferentes previsões de acordo com as eventualidades que podem ocorrer. O profissional deve traçar cenários que a pandemia pode seguir e de que maneira a empresa deve se adaptar mais rapidamente.

Outro ponto é articular ainda quais ações devem ser tomadas e quando precisam ser concluídas. Para a tomada de decisões, o ocupante do cargo precisa ter em vista condições macroeconômicas e as capacidades individuais da empresa. 

A partir daí, o profissional precisará guiar a composição de uma estrutura para monitorar os desdobramentos das ações e acompanhar seu andamento. Com isso, o CFO analisará se as medidas adotadas pela organização são capazes de enfrentar a crise. 

Implementar uma cultura de caixa

Já que a preservação do caixa é uma prioridade, também é importante que o líder financeiro instale uma cultura de caixa na organização. Para isso, essa preferência também deve ser comunicada de maneira eficaz para os integrantes da empresa. O esclarecimento precisa ser feito para que todos entendam a necessidade de alcançar a meta. 

Aliás, uma das funções do CFO é exatamente desenhar estratégias para implementar uma cultura financeira sustentável no negócio, e para isso ele precisará utilizar persuasão e poder de comunicação para passar essa informação da forma mais assertiva, trazendo segurança aos colaboradores.

O comunicado deverá ser feito especialmente para os conselhos de administração e para os investidores da empresa. É necessário anunciar as ações que são tomadas para proteger a saúde financeira da organização, a fim de que percebam a rapidez das respostas à crise.

Novos tempos, novas operações 

Com o fim da crise do coronavírus, as empresas devem iniciar a retomada do crescimento. A nova realidade demandará iniciativas arrojadas para os negócios, como a melhoria operacional para impulsionar a produtividade.

A redução do custo das operações pode passar pelo uso do comércio eletrônico e do trabalho digital inteligente, por exemplo. Ao adotar essas medidas, as organizações podem se tornar mais resilientes à estagnação depois da pandemia. 

É importante frisar que não há como passar por um novo contexto aplicando hábitos antigos. É como uma fórmula matemática: se um fator é alterado, todos os outros também devem ser para que o resultado final seja similar ao anterior.

Portanto, o CFO deve apostar em novas estratégias sem medo!

Passado o sufoco, traçar um novo planejamento estratégico

Desenvolver uma preparação para os próximos passos adotados pela empresa também é papel do CFO. O executivo deve prever de que maneira a organização precisa reagir depois da turbulência econômica. 

Para balizar as ações, é necessário utilizar os indicadores de desempenho, que devem ser acompanhados de forma constante. O líder pode escolher algumas métricas que devem orientar as medidas da organização no futuro.

Lucros da crise: por que a digitalização deve permanecer nos novos tempos

Ainda que a digitalização e a automação de processos financeiros não sejam exatamente uma novidade, a pandemia obrigou que quem ainda não tinha aderido a esse sistema corresse contra o tempo!

Softwares, aplicativos e outras facilidades são meios assertivos de manter as operações e vendas em funcionamento mesmo com as medidas de isolamento social.

Que tal aproveitar esse movimento para implementar de vez essa cultura na empresa? Afinal, mesmo com o fim da pandemia, as expectativas apontam que a realidade que conhecíamos não vai mais existir. No lugar, fica um mundo ainda novo, com outros hábitos de consumo e formas de trabalho.

Dessa forma, as iniciativas digitais que ajudaram a empresa a gerenciar o desequilíbrio econômico seguirão essenciais para o negócio.

Com isso, o diretor financeiro também deve assumir uma liderança na iniciativa de defender o uso da digitalização na empresa. Depois de instaladas na crise, as previsões contínuas que antes pareciam fora do alcance devem permanecer e podem ser ampliadas para toda a organização.

Com a leitura, você entendeu que as empresas podem enfrentar melhor a crise do coronavírus se tiverem um CFO. Mais do que nunca, esse profissional é essencial para a saúde financeira e o sucesso de uma empresa.

Consultoria online e gratuita em automação de processos

Até a próxima!

Para ler mais conteúdos como esse, confira nosso blog: